7 de mai de 2015

Como anda sua saúde bucal?

 
A saúde bucal é uma das áreas mais importantes da nossa saúde em geral, mas poucas pessoas dão seu devido valor. Você sabia que um desleixo com a boca pode causar até doença cardíaca?
Uma boca saudável é notada pela ausência de doenças. A cárie, placa bacteriana, tártaro, doença periodontal, feridas, manchas, mau hálito, gengivas vermelhas, dentes amarelos e apinhamento dos dentes denotam uma boca com problemas que devem ser tratados.
É através da boca que conseguimos comunicar e expressar nossos sentimentos; é com nosso sorriso que podemos mostrar alegria e afeto pelas pessoas. Quer um motivo melhor por que devemos manter a boca sempre saudável e com uma aparência agradável?

Saúde Bucal e Doença Cardíaca

Os benefícios de uma boa higiene bucal vão muito além de um belo sorriso e de um hálito fresco. Muitos não sabem, mas há diversas pesquisas que mostram a ligação de uma má higiene bucal com doenças do coração. As bactérias como as da bolsa periodontal migram por bacteremia, ou seja, entram na corrente sanguínea através da boca e vão para o coração. Lá, proliferam-se e podem vir a ocasionar diversas doenças cardíacas, desde arritmia até endocardite bacteriana.
O Instituto do Coração (Incor) realizou uma pesquisa em São Paulo e constatou que 45% das doenças cardíacas tinham origem na cavidade bucal, devido a caries profundas com comprometimento do canal, gengivas inflamadas, restos de dente e abscessos.

Saúde Bucal e Nutrição

Boca saudável é aquela que proporciona uma boa mastigação — que conseqüentemente trará uma boa digestão e uma melhor absorção dos nutrientes, trazendo saúde para o corpo todo. Pouca gente faz essa ligação entre a qualidade da mastigação e a boa nutrição, e acaba investindo em bons alimentos, com nutrientes, mas esquece dessa parte fundamental.

Principais Problemas de Saúde Bucal

Então, é necessário conhecermos e estarmos atentos aos diversos problemas bucais.Conheça alguns dos principais problemas bucais e como tratá-los:

1. Cárie

A cárie é a deterioração do dente e é fortemente influenciada pelo estilo de vida do indivíduo.
Podem ocasionar cáries: má alimentação, cuidado inapropriado dos dentes, uso incorreto da escova ou do fio dental. A hereditariedade e a acidez da boca também têm um papel importante na predisposição dos dentes para se deteriorarem.
Se a cárie não for tratada, ela pode destruir o dente e matar os seus nervos centrais; podendo resultar em um abscesso, uma área de infecção na ponta da raiz. Uma vez formado o abscesso, ele só pode ser curado com tratamento de canal, cirurgia ou extração do dente.
Algumas dicas para evitar a cárie:
  • Escove os dentes pelo menos três vezes ao dia.
  • Use o fio dental diariamente para remover a placa bacteriana entre os dentes e sob a gengiva.
  • Consulte um dentista regularmente: a prevenção é essencial para evitar os problemas mais sérios.
  • Tenha uma dieta balanceada, com pouco açúcar e amido: estes alimentos colaboram significativamente para a formação da cárie.
  • Utilize um enxaguante bucal para complementar a higiene. Saiba como fazer um enxaguantes bucal natural.

2. Placa Bacteriana

É uma película pegajosa e incolor, formada por bactérias e açúcares que se alojam sobre os dentes.
A placa bacteriana é a principal causa das cáries e gengivite — se ela não for removida, endurece e forma o tártaro.
Como as bactérias estão presentes em nossa boca, elas aproveitam os nutrientes contidos na saliva e nos alimentos que ingerimos para se desenvolver. A placa causa cárie quando os ácidos que ela produz atacam os dentes. Isso costuma ocorrer logo após as refeições — por isso a importância de se escovar os dentes. Sofrendo esses ataques repetidamente, o esmalte dos dentes pode se desfazer e abrir caminho para a formação de cáries. A placa bacteriana pode também irritar a gengiva ao redor dos dentes, causando gengivite e até a perda dos dentes, caso não seja tratada.
Para evitar a formação da placa bacteriana basta escovar bem os dentes, passar fio dental diariamente, limitar a ingestão de alimentos com muito açúcar e amido. Ainda assim, quando se trata de placa, é essencial visitar o dentista para fazer limpeza em períodos regulares (normalmente 6 meses).

3. Tártaro

É quando a placa bacteriana endurece na superfície dos dentes. Pode se formar na gengiva e irritar os tecidos gengivais. Se o tártaro não for tratado, ele pode levar a problemas mais sérios, como cáries e gengivite.
O tártaro é uma formação mineral facilmente visível se estiver acima do nível da gengiva. O sinal mais comum é uma cor marrom ou amarela nos dentes na região da margem gengival. Só o dentista pode diagnosticar e remover o tártaro.

4. Doença Periodontal

Ocorre a doença periodontal quando uma grande quantidade de bactérias está presente na cavidade bucal. As doenças periodontais são consideradas infecções nas estruturas de suporte dos dentes — osso, ligamento periodontal e gengiva — causada por bactérias presentes na placa.
A doença periodontal pode ser um problema sério, pois é uma das responsáveis pela perda de dentes e gengivite.

5. Manchas

Existem pessoas que têm os dentes mais amarelados ou manchados que outras. A cor natural dos dentes pode ser afetada por diversos fatores:
  • Tabaco
  • Ingestão de muito café, chá, ou vinho tinto
  • Ingestão exagerada de alimentos altamente pigmentados como cerejas, amoras e molho de tomate
  • Acúmulo de depósitos de tártaro
A solução do problema é simples: uma limpeza realizada por um especialista removerá a maior parte das manchas. A utilização de cremes dentais e enxaguantes bucais branqueadores também podem auxiliar a remover estas manchas superficiais nos intervalos das visitas ao dentista.
Outra maneira mais eficaz é o clareamento realizado por um profissional para remover as manchas mais insistentes.
O clareamento pode ser feito tanto em um consultório dentário ou em casa, utilizando um sistema fornecido pelo seu dentista. Ambos os métodos utilizam um gel branqueador que oxidam a mancha. Durante o processo de clareamento, é normal que os dentes se tornem ligeiramente sensíveis. Vale lembrar que para efetuar o clareamento os dentes devem estar limpos, higienizados e sem cáries.

6. Mau Hálito

O mau hálito é um problema muito comum. Esse problema ocorre por uma higiene bucal inadequada, gengivite, ingestão de determinados alimentos, tabaco, boca seca e doenças do estômago, fígado e rins.
A maioria das pessoas têm mau hálito matutino porque tem uma produção menor de saliva durante a noite, permitindo que os ácidos e outras substâncias se deteriorarem no interior da boca. Medidas tais como escovar bem os dentes e língua, usar fio dental e principalmente um enxaguante bucal antes de dormir ajudam muito.
Se o seu mau hálito persistir mesmo após uma boa escovação e o uso do fio dental, consulte seu dentista, já que isso pode ser a indicação da existência de um problema mais sério. Só o dentista poderá dizer se você tem gengivite, boca seca ou excesso de placa bacteriana, que são as prováveis causas do mau hálito.

7. Gengivite

Uma inflamação na gengiva é um sinal de alerta para a gengivite. Quando a inflamação está no estágio inicial, ela é bem mais fácil de ser tratada. A causa direta da doença é a placa — uma película grudenta e incolor de bactérias que se forma, de maneira constante, nos dentes e na gengiva.
Quando esta placa não é retirada pela escovação formam-se toxinas que irritam a mucosa da gengiva causando a gengivite. Se a gengivite não for tratada, ela pode evoluir para uma periodontite e causar danos permanentes aos dentes. Os sintomas mais comuns da gengivite são: gengivas vermelhas, inchadas e sensíveis que podem sangrar durante a escovação.
Para prevenir a gengivite é essencial uma boa higiene bucal. Essa higiene consiste na correta escovação e uso apropriado do fio dental para remover restos alimentares e as placas bacterianas para evitar o tártaro. A limpeza profissional também é extremamente importante, pois uma vez que a placa se acumula e endurece, apenas o dentista pode removê-la.

8. Problemas Ortodônticos

Ortodontia é a especialidade odontológica que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada.
Quando os dentes estão tortos é muito difícil fazer uma boa limpeza, acarretando até na perda dos dentes pela falta de cuidado, além de prejudicar a aparência. Os problemas com mordida cruzada e aberta podem causar um estresse adicional nos músculos da mastigação — proporcionando dores de cabeça, nos ombros, no pescoço e nas costas.
Há vários tipos de aparelhos fixos e móveis. Esses aparelhos são utilizados para ajudar a movimentar os dentes, retrair os músculos e alterar o crescimento mandibular. O aparelho faz uma leve pressão nos dentes e ossos maxilares. A gravidade do seu problema é que irá determinar qual o procedimento ortodôntico mais adequado e mais eficaz.
Postar um comentário