19 de ago de 2014

Tratamento para Calvície Hereditária

Tratamento para Calvície Hereditária

rodução

Calvície é uma forma de alopécia — queda dos cabelos sem reposição — que se torna gradual e progressiva se não for tratada imediatamente.
A principal causa é genética, quando os pais ou avós, principalmente o homem, são calvos. O hormônio masculino Dihidrotestosterona (DHT) presente no folículo cabeludo é o principal fator para provocar a queda de cabelos. O sebo — que contém o hormônio masculino — acumulado no couro cabeludo, entope os poros e ocasiona má nutrição da raiz do cabelo.

Alopecia Aerata

Outra causa da calvície é uma condição auto-imune conhecida como Alopecia Areata. São áreas pequenas e arredondadas totalmente sem cabelo. Normalmente a queda se restringe somente a essas áreas, não havendo perda completa.
A causa da alopecia areata ainda é desconhecida, mas alguns fatores podem contribuir para o seu desenvolvimento, tais como: doenças de tireóide, hereditariedade, exposição a produtos químicos, casos de fundo emocional, período da menopausa, dieta pobre em nutrientes e problemas como a dermatite seborréica.
A alopecia pode ser congênita (presente desde o nascimento do indivíduo) ou adquirida. A alopecia adquirida apresenta duas formas principais:
  • Cicatricial: há inflamação e perda de folículos pilosos. Pode ser causada por doenças de pele, infecções fúngicas (micoses), infecções bacterianas e queimaduras.
  • Não-cicatricial: os cabelos estão ausentes, mas os folículos pilosos estão preservados, o que explica a natureza reversível deste tipo de alopecia. As doenças da pele são as causas mais comuns da alopecia não-cicatricial e incluem: eflúvio telogênico, alopecia androgenética e alopecia areata.

Alopecia Androgenética Masculina

O padrão de calvície masculino pode ser causado por uma sensibilidade geneticamente herdada a uma substância de ocorrência natural denominada dihidrotestosterona (DHT). Uma enzima natural do organismo, chamada 5-alfa-redutase, converte o hormônio testosterona no DHT. Homens com alopecia androgenética apresentam níveis bastante elevados de DHT.
Esta condição se inicia com o afinamento dos cabelos nas têmporas; depois se reduz a fase do crescimento, até que algumas áreas fiquem completamente sem cabelos.

Alopecia Androgenética Feminina

O padrão de calvície feminino é resultado da diminuição do estrogênio (hormônio feminino) que geralmente inibe o efeito da queda de cabelo provocado pela testosterona.
A calvície da mulher pode ser explicada por uma "alta sensibilidade" dos receptores hormonais localizados no cabelo aos hormônios masculinos.
A alopecia androgenética é uma doença progressiva que, se não for tratada, tende a piorar com o tempo. A velocidade de progressão depende de fatores únicos em cada pessoa, tais como histórico familiar e presença ou ausência de distúrbios hormonais.
Os cabelos das mulheres que apresentam a alopecia começam a se afinar, em geral na parte anterior e superior da cabeça. No começo, é visível apenas na "risca" do cabelo e nota-se um cabelo fino, frágil, quebradiço, com pouco volume e com crescimento lento. Depois, uma rarefação mais difusa do cabelo começa a ser percebida. Por fim, certa "transparência" do cabelo é notada, permitindo observar-se o contorno da cabeça através do cabelo.
Ainda não existe uma forma eficaz que garanta 100% de sucesso na cura da calvície. Entretanto, existem diversas medidas que podem ser tomadas para controlá-la. Assim, ela deixa de evoluir, evitando-se a queda completa dos cabelos. Quanto mais cedo se detectar o problema, melhores serão os resultados. Os objetivos do tratamento da alopecia androgenética são:
  • Retardar a rarefação, evitando o excesso de queda;
  • Aumentar o volume de cabelos no couro cabeludo;
  • Engrossar os fios de cabelo já existentes.

Dicas de Tratamento da Calvície

  • Procurar manter uma vida saudável. Adotar uma alimentação rica em aminoácidos e proteínas; cobre, ferro, zinco, óleo de linhaça e complexo B; além da prática de exercícios físicos. Esses fatores contribuem para uma boa nutrição capilar e irrigação do couro cabeludo.
  • Limpeza do couro cabeludo. As lavagens devem ser freqüentes, utilizando-se xampus apropriados com fórmulas delicadas de pH neutro e sem sal, para remover a sujeira e o sebo em excesso, sem alterar o pH do couro cabeludo.
  • Massagem. Ter o hábito de massagear o couro cabeludo ajuda a ativar a circulação. A massagem deve começar na parte frontal da cabeça e nas têmporas, continuando na nuca e terminando no alto do crânio. Esta massagem, além de ativar.
Postar um comentário