26 de fev de 2014

Uma pequena história.

Tico e Teco

Na fazenda do Sr. João, tinha um lago muito grande e bonito. Mas dona Dedé, uma patinha que vivia ali, se sentia muito infeliz apesar de toda aquela beleza. Ela não encontrava nenhum amiguinho para brincar com ela. É verdade que na fazenda viviam outros tipos de animais que falavam outras línguas e passavam conversando horas e horas. Mas a coitadinha da dona Dedé vivia tão sozinha e não encontrava ninguém para conversar com ela. Ninguém a compreendia, mas ela não perdia a esperança de encontrar alguém. Logo de manhãzinha ia para o lago. Upa! Colocava uma patinha na água para ver se estava quente. Upa! Colocava a outra.

- Quém! Quém! Quém! Quém!

E ninguém respondia. Vendo um sapo sentado numa pedra, cumprimentou toda sorridente.

- Quém! Quém! Quém! Bom dia seu sapo. O sr. acha que vai chover?

- Hum! Hum! Hum! Hum!

"Ai! Que vida sem graça era aquela." Pensou Dedé. E era mesmo.

Na mesma estrada, mais abaixo, morava o sr. Antônio, dono de outro fazenda. Naquele dia, por engano, colocou dois ovos de pata embaixo da galinha Cocota. Dona Cocota, que era conhecida pela redondeza como uma mãezinha muito boa e carinhosa, logo se sentou sobre os ovos. E ali ficou esperando pacientemente que seus filhinhos nascessem. Até um dia...

Ah! Ali estavam seus filhotes! Todos tão bonitinhos, redondinhos, amarelinhos, iguaizinhos. Não, não, não. Esperem um pouco. Dois são diferentes. Têm bicos chatos e suas patinhas são emendadas, parecendo um leque.
Postar um comentário