29 de jun de 2013

Você já sofreu Bullying!


 

Eu já sofri bullying quando era pequena na escola quando eu tinha 6 anos que morava com minha avó que minha mãe não podia fica comigo porque trabalhava ela me matriculou num colégio particular no começo era bom depois um garoto começou a mexer comigo e pronto já não queria mas ir pra escola eu passava mal e dizia pra mina vó que não queria ir ela ficava falando porque no começo não tinha coragens de fala mas depois eu não aguentei mas ai minha avó foi comigo e me mandou amostra o garoto que mexia comigo esse garoto me derrubava da cadeira batia na minha cabeça eu chegava fica com dor de cabeça minha vovó ia comigo na escola mas no meu do caminho eu inventavá que estava mal e chegava até a fazer xixi na saia mas não pode ir para escola até que um dia minha vó foi comigo e me perguntou quem era do colégio o garoto já ia mexer comigo de novo quando minha vó viu e nem precisou fala com ela minha avó chegou a bater no garoto pra mim foi um alivio mas depois de um rolo danado a mãe do garoto veio minha vó brigou com mãe dele disse que se mexer com minha neta ela iria apanhar e nunca mas o garoto mexeu comigo mas mesmo assim eu sai da escola eu quis sai de uma escola particular ir pra uma publica fique bem melhor na escola meu desenvolvimento que era péssimo ficou muito melhor diga não ao Bullying!


O que é bullying?
 Bullying é uma situação caracterizada por atos agressivos verbais ou físicos de maneira repetitiva por parte de um ou mais alunos contra um ou mais colegas. O termo inglês refere-se ao verbo “ameaçar, intimidar”.
 Grande parte das pessoas confunde ou tende a interpretar o bullying simplesmente como a prática de atribuir apelidos pejorativos às pessoas, associando a prática exclusivamente com o contexto escolar. No entanto, tal conceito é mais amplo. O bullying é algo agressivo e negativo, executado repetidamente e ocorre quando há um desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas. Desta forma, este comportamento pode ocorrer em vários ambientes, além da escola: em universidades, no trabalho ou até mesmo entre vizinhos.

Basicamente, a prática do bullying se concentra na combinação entre a intimidação e a humilhação das pessoas, geralmente mais acomodadas, passivas ou que não possuem condições de exercer o poder sobre alguém ou sobre um grupo. Em outras palavras, é uma forma de abuso psicológico, físico e social.
No ambiente de trabalho, a intimidação regular e persistente que atinge a integridade e a confiança da vítima é caracterizada como bullying. Entre vizinhos, tal prática é identificada quando alguns moradores possuem atitudes propositais e sistemáticas com o fim de atrapalhar e incomodar os outros.
Falando especificamente do ambiente escolar, grande parte das agressões é psicológica, ocasionada principalmente pelo uso negativo de apelidos e expressões pejorativas criados para humilhar os colegas. O papel da escola é informar aos professores e alunos o que é e deixar claro que o estabelecimento não admitirá a prática – “prevenir é o melhor remédio”. A atuação dos professores também é fundamental. Há uma série de atividades que podem ser feitas em sala de aula para falar desse problema com os alunos. Pode ser tema de redação, de pesquisa, teatro etc. É só usar a criatividade para tratar do assunto.
Claro que não se pode banir as brincadeiras entre colegas no ambiente escolar. O que a escola precisa é distinguir o limiar entre uma piada aceitável e uma agressão. Ao perceber o bullying, o professor deve corrigir o aluno. Em casos de violência física, a escola deve tomar as medidas devidas, sempre envolvendo os pais. Bullying só se resolve com o envolvimento de toda a escola - direção, docentes e aluno - e a família.

Serviço de Orientação Educacional e Psicologia Escolar.

Postar um comentário